sexta-feira, 15 de maio de 2015

Poema do meu fracasso

por: Sandra Alencar
Facebook
Coluna: Frêmito
 
 
Tanta coisa pra dizer e a folha em branco.
Tanta coisa pra fazer e o dia acaba.
Tanta história pra contar e a voz termina.
Tanta vida para ser e não sou nada.
Dias vão e vêm, estou sumindo.
Só mais um pouquinho e já serei memória.
Queremos ter a certeza do caminho,
Mas a incerteza é a própria história...

...E em pensar que a vida poderia ser tão simples
Como um beijo na tua boca...

5 comentários:

Hermes Veras disse...

O bom de tornar-se memória é que ela é imprevisível, potente e instável.

CA Ribeiro Neto disse...

Ser memória pode ser altamente interpretável e o que é bom em um momento pode deixar de ser depois.

Sandra Alencar disse...

Ser memória é bom e ruim. Como a vida!
Viver é ser feliz e triste! Todo mundo tem o direito de ter tristezas e momentos ruins! Jogar é ganhar e perder!

Leco Silva disse...

E pensar que até um beijo pode ser complicado quando pensado além do ato.

Será viver muito diferente?

Com a pergunta, eu só quero dizer que apreciei o versado.

Sandra Alencar disse...

Obrigada leco