terça-feira, 15 de setembro de 2015

No meu quarto escuro...

por: Sandra Alencar
Facebook
Coluna: Frêmito



No escuro do meu quarto cansado,
Escrevo sobre o meu vazio,
Um verso indeciso e medroso.

No escuro do meu quarto de paredes envelhecidas,
Fecho os olhos e revejo meus passos mortos pela casa.
Releio minhas rugas no espelho,
Procuro um sopro do que eu era.

Nesse quarto escuro e empoeirado, fecho os olhos,
E uma luz se acende dentro de mim.

Vejo minha alma marcada,
Imperfeitamente sobrevivente,
De tudo que ousei viver.

2 comentários:

CA Ribeiro Neto disse...

O poema todo está incrível, mas destaco muito o verso "Releio minhas rugas no espelho"! Quanto pode ser dito em apenas um verso? Esse fala demais! Se o poema fosse só ele, já seria genial!

Hermes Veras disse...

O quarto é quem escreve o escritor.