sábado, 7 de maio de 2016

O curioso casal Miguel e Dara

por CA Ribeiro Neto - Twitter 



No mínimo curioso é o casal que mora, desde o começo da década de 70, numa cidade maravilhosamente praiana do Ceará. São conhecidos porque suas profissões assim os fazem, mas não chamam, nem gostam de chamar atenção. Miguel toma de conta de uma barraca de praia, a mais simples da orla, cujo dono ninguém conhece. Dara era uma das poucas agentes de saúde que o Governo do Estado alocou para aquele município.
Como vocês podem imaginar, eles não passavam o dia juntos. Ele não saia da barraca; ela tinha que visitar seus pacientes nas muitas periferias. Contudo, à noite, sempre ficavam juntos e mal eram vistos assim.
Não frequentavam a missa, nem o culto, nem o terreiro; não apareciam nas noites de quermesse, nem nas festas de São João, nem na tradicional velejada de aniversário da cidade, muito menos no mela-mela do carnaval.
Todos os conheciam e eles faziam questão de cumprimentar quem passasse por perto, sendo já tradicional a fama de simpáticos. Não faziam, nem eram alvo de fofocas.
Não tinham netos, porque não tiveram filhos. Nunca apareceram parentes de longe. Quando vão fazer a feira de casa, nunca se envolvem em discussões de política, ou futebol. Nunca manifestaram votos ou mesmo foram vistos votando.
Sobre a cidade, prefiro não informar sua exata localização; mas desde o começo da década de 70, quase não há morte morrida, mas as poucas vezes em que houve, foi de turistas; os moradores só morrem de morte matada ou longe da cidade. Nunca mais houve fortes ressacas invadindo a praia nem as casas de veraneio, nunca mais teve epidemias, nem grandes secas. Desde essa época, não há necessidade de racionamento de água e nunca teve baixa no volume de pescados. A agricultura nesse tipo de terreno é difícil, mas supre a maioria da subsistência e o que não se dá aqui é facilmente comprado graças a uma economia modesta, mas sempre superavitária e estável.
Enfim, melhor mudar de assunto, deixa quieto. Nunca subestime, nem tente decifrar os encantos e mistérios que sempre envolvem cidades maravilhosamente praianas.

3 comentários:

Hermes Veras disse...

Muito curioso. Agradável o clima de mistério, e claro, o da praia. Ah, sal-dades!

Sandra Alencar disse...

Fiquei imaginando um romance. Adorei!

Sandra Alencar disse...

Fiquei imaginando um romance. Adorei!